sábado, 18 de junho de 2011

Jesus é o Pão da vida que traz cura aos relacionamentos!


Jesus é o Pão da vida
 que traz cura aos relacionamentos!
5ª Noite do Pão da Vida!
        Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união!
 É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desceu sobre a barba, a barba de Arão, que desceu sobre a gola das suas vestes; como o orvalho de Hermom, que desce sobre os montes de Sião; porque ali o Senhor ordenou a bênção, a vida para sempre. (Salmos 133:1-3)

Introdução:
A benção é derramada onde há união.

É possível ter união onde existem conflitos¿
                                      Onde há relacionamentos existirá conflitos.
É humanamente impossível viver em harmonia total com os outros o tempo todo.

Aprenderemos que o problema reside não nos conflitos em si, mas como agimos e lidamos com eles nos nossos relacionamentos.

1º-RECONHECER:       Que fomos magoados, injustiçados.
1.1-Somos seres emocionais, sentimos raiva, ira indignação, decepção, tristeza etc.
1.2-Esses sentimentos devem ser levados a Deus.
            Os sentimentos em si não são pecados, mas é pecado “alimentar” esses sentimentos, que em pouco tempo se transformarão em amargura, ódio, vingança.
 (Hb 12:15)

2º-PERDOAR             O perdão é uma estrada de mão dupla.
2.1-Pedir perdão (quando você é o ofensor.)
-Pedir perdão a Deus.               
-Para a pessoa ofendida

2.2-Liberar perdão (quando você é o ofendido)
-Quando o ofensor pede perdão (Lc 17:3-5)
-Quando o ofensor não pede perdão (mc 11:25,26)

Quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, para que também vosso Pai que está no céu, vos perdoe as vossas ofensas.
 [Mas, se vós não perdoardes, também vosso Pai, que está no céu, não vos perdoará as vossas ofensas.] 
(Marcos 11:25-26)

3º-CONFESSAR:      Se dissermos que não temos pecado nenhum, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós.
 Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. (1º João 1:8-9)
3.1-Magoar alguém, agir errado.
3.2-Alimentar o ódio, a vingança, amargura ressentimentos (sentir de novo)
      
Conclusão:   
  Perdoar é também desabrigar o ofensor de qualquer compensação, o perdão é libertador.
Quando os conflitos são tratados e o perdão é liberado, a união é restabelecida e... “ali o Senhor ordena a sua benção e a vida para sempre.”
Leia: Efésios 4:31-32 – Mateus 18:21-22

Mensagem: Pra. Silmara Brentam Quarentei – Co-Pastora IEQ-Porecatu-Paraná.